A Inflação de João e Maria


João e Maria formam um casal normal como outro qualquer, moram em um bairro simples da periferia da cidade. João (62 anos) trabalha como servente de pedreiro, tem apenas o primeiro grau e quando consegue serviço fixo ganha em torno de R$ 1.200,00. Maria (60 anos) aposentada (R$ 800,00), também tem o primeiro grau e para aumentar a renda familiar faz bolos, salgadinho, doces, etc. como complemento de renda ela consegue mais uns R$ 1.100,00 aproximadamente.

Dona Maria tem reclamado bastante do constante aumento de preços dos produtos que utiliza para fazer seus bolos e salgados e, quando pergunta ao caixa e/ou gerente do Supermercado, a resposta é sempre a mesma…Inflação.

Dona Maria conversa a noite com João e comenta o que lhe respondem toda a vez que ela reclama do aumento de preços e fica sem entender o que está acontecendo, pois, ela escuta na televisão que a tal da “Inflação” está caindo e o que ela vê no Mercado é o contrário.

Dona Maria foi ao mercado no dia seguinte fez o comentário acima e o gerente já cansado de reclamações chamou uma pessoa do Financeiro para auxilia-lo nas explicações.

…dona Maria esse é o Carlos do nosso Gerente Financeiro, ele vai explicar para a Sra. suas dúvidas com o tema Inflação…

Dona Maria, a inflação nada mais é do que o aumento persistente e generalizado no valor dos preços medido em um determinado período de tempo em um país, estado, cidade e até mesmo em um bairro.

A Inflação é medida com base em índices, como o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que ponderam os bens e serviços mais importantes para a população e medem o crescimento desses preços

Repare que a cesta de bens considerada pelo índice de inflação pode não ser aquela que a Sra. costuma consumir, portanto, a “sua” inflação pode ser maior ou menor do que aquela medida pelos índices oficiais”.

Se todos os preços (bens, serviços, salários, etc.) aumentassem igualmente, não haveria problemas. O problema é que a inflação mexe nos preços relativos, e assim, dá ganhos para alguns e perdas para outros fatores, como chuva, seca, excesso de consumo e baixa oferta, etc. são causas de inflação.

… por exemplo se estamos em uma época de chuvas onde a produção de verduras é bastante castigada, quando a Sra. for ao Mercado comprar verduras verá que os preços estarão mais altos que o normal e isso se deve a baixa produção (oferta) por parte dos produtores (Inflação de demanda reflete o descasamento entre consumo e oferta num determinado mercado).

Quando a inflação é superior ao aumento de salários, por exemplo, há perda do poder de compra da população assalariada, ou seja, os salários são reajustados abaixo dos índices aos quais os preços dos produtos são reajustados (tudo fica mais caro).

A inflação pode ter uma causa monetária (impressão de dinheiro pelo governo), pode ter causas psicológicas (agentes ajustam o preço porque acham que outro também vai ajustar) e pode ter uma causa real (um desajuste entre a oferta e a demanda por bens e serviços).

São várias ferramentas e a taxa de juros é uma delas, mas não é a única. No longo prazo, o melhor remédio para inflação é a expansão da capacidade produtiva, que aumenta a oferta de produtos e reduz os preços dos mesmos.

Dona Maria, agradece a explicação de Carlos, sai andando coçando a cabeça e pensando sobre tudo que ouviu….

 

Mauricio A. de Paula

http://www.treasurybusiness.com.br

e-mail: mauricio@tresurybusiness.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s